Pular para o conteúdo principal

Existem porquês?




Sim. Eu acredito que para tudo existe um porquê.
Nem sempre conseguiremos encontrar qual é. Algumas vezes nem vamos querer usar nosso tempo nisso. Mas dizer que não existem é perder uma parte grande da história.

Quem se habilita a pensar nesta questão e entender os porquês de cada uma de nossas escolhas segue mais consciente de si mesmo e vislumbra mais possibilidades.

Conseguir ver mais possibilidades aumenta nossas opções de escolha, de ação e de resultados.

Quando nosso movimento parece não combinar com o que havíamos desenhado para ser é porque existem alguns porquês ocultos a nossa consciência interferindo em nossas ações.

Como quando planejamos fazer academia ou melhorar a alimentação mas na prática nada disso acontece de verdade. Quando escolhemos ser mais gentis com as outras pessoas, ou guardar dinheiro para as emergências ou, ou, ou e na realidade nada se faz por mais dolorido que sejam os resultados de não ter feito como planejado.

Por que?
Por isso mesmo. Porque existem grandes porquês nos impulsionando.
Não pesquisar atentamente quem são eles nos mobiliza.
Mesmo não acertando nas primeiras tentativas, explorar as possibilidades de porque estamos fazendo assim ou assado, é com certeza uma aventura que renderá muitos e excelentes frutos a médio e longo prazo.

Algumas de nossas escolhas são puro instinto. São inclusive as mais poderosas e difíceis de modificar. Mas, nem ter consciência de que estão nos dominando e conduzindo nossas vidas por caminhos que não escolhemos é uma prisão perigosa.

Da trabalho descobrir e mudar isso? Pode ser.
Mas será um trabalho maior que arcar com as consequências de atitudes viciadas que nos fazem tanto sofrer? Que nos conduzem por caminhos que não escolhemos ir? Acredito que não.

Beleza. Agora só precisamos descobrir como. Como descobrir nossos porquês e depois como mudá-los?

Segundo minhas pesquisas, a maneira mais simples e rápida para descobrir a raiz da questão é insistir em responder 5 níveis/profundidades de um único porquê por vez. Exemplo prático:


Problema: Não consegui guardar o dinheiro que planejei.

Porque 1: por que eu não consegui guardar dinheiro este ano?
Porque eu não tive disciplina para isso.

Porque 2: por que eu não tive disciplina?
Porque me distrai de meu planejamento e objetivos.

Porque 3: por que eu me distraí?
Porque meus objetivos de porque guardar dinheiro podem não estar claros para mim, não serem fortes o suficiente ou serem contrários ao meu instinto.

Porque 4: por que eu quero guardar dinheiro afinal?
Porque dói demais quando eu preciso de dinheiro e não tenho.

Porque 5: por que eu não guardei então?
Porque poder gastar quando eu tenho pode ser mais agradável do que ter que dizer “não vou gastar” quando eu tenho (apesar de acreditar que não posso ou não devo).

É isso. Se saber isso pode parecer pouco para ajudar a resolver o problema, acredite, foi um grande passo. Mesmo que eu tenha me enganado e as respostas às perguntas não sejam as verdadeiras, pelo menos já tenho uma pista de por onde começar a mudar. Se eu entender que é verdadeiramente isso que desejo.

Quando não temos uma ideia clara sobre quem são ou onde estão nossos inimigos, podemos sair por aí atirando para todos os lados (machucando muitas pessoas e destruindo muitas coisas) e continuar errando o alvo.










Postagens mais visitadas deste blog

Condicionamentos e Padrões de comportamento

Fantástico, recomendadíssimo!!!
Assistindo um hangout hoje, do Recalculando a Rota aprendi mais que a soma de muitos livros, filmes ou experiências de vida que já tive oportunidade de ter contato até agora. Tudo bem resumidinho, direto ao ponto, recheado de "pulos do gato".


Considere substituir a palavra Universo por outra que se sinta mais confortável. Deus, Senhor do Mundo, Anjos... seja lá qual for a Fonte Maior que entenda como poderosa ou capaz o suficiente de fazer mais por você que você mesmo.

Segue um resuminho do que (penso que) aprendi:
Vamos perguntar porque agimos da maneira que agimos?
Existem diversos condicionamentos, ou padrões de comportamento que adquirirmos durante nossa vida em função dos acontecimentos a nossa volta.
Por exemplo:  Estávamos aprendendo algo (dirigir, nadar, cavalgar...) e fomos expostos a uma reação grosseira e exagerada de quem estava próximo (por algum erro cometido por nós) e então adquirimos um padrão de querer ser perfeitos para nao p…

Quando você muda o modo de observar as coisas, as coisas mudam

Frase


O amor é a solução. 
 "Existem três tipos de pessoas: as que deixam acontecer, as que fazem acontecer e as que perguntam o que aconteceu." (John Richardson Jr.). 
"Não devemos ter medo dos confrontos. Até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas." (Charles Chaplin).


Sou uma metamorfose ambulante...

Enquanto nos distraímos com o que ainda não é, deixamos de aproveitar o que já é

Hoje assisti o vídeo da Jout jout lendo e interpretando o livro “A parte que falta”. Ela se emocionou e eu junto. Logo na sequência Ouvi um texto narrado por uma voz metálica, computadorizada, que tirava o brilho de seu conteúdo, então resolvi escrever aqui para todos nós.


Ambos me despertaram para o nada. Aquele que nos preenche de tamanha plenitude que fica quase impossível explicar em palavras. Então sentei na espreguiçadeira, sob o sol e nada. Levantei com uma energia que não sei de onde vinha. Realizei em uma hora o que facilmente poderia ter me consumido semanas. Mais uma vez sentei. Agora na varanda recém-nascida, diante da exuberância da floresta e meus olhos começaram a enxergar o que antes parecia nem estar ali. Nem os pernilongos me acharam. Foi muito lindo.
A prosperidade é um estado de plenitude. De gratidão pelo que se é, percebe, sente, interage e compartilha. Não está diretamente relacionado com dinheiro, mas sim com abundância de bem estar. Bem estar só ou acompanhado.
É clar…